Estrada Real – Tabuleiro

Se tem um lugar na Estrada Real que vale a pena montar acampamento, este lugar se chama Tabuleiro. Com diversas cachoeiras de belezas inenarráveis e trilhas de tirar o fôlego, Tabuleiro é um pequeno distrito do município de Conceição de Mato Dentro, com pouco mais de 4 mil habitantes, localizado a 274km da capital mineira. O local oferece tranqüilidade, prazer, e bastante exercício físico aos visitantes. Nosso acampamento foi no Tabuleiro Eco Hostel (Pousada e Camping).

Nós visitamos duas, das belas cachoeiras da região – Cachoeira do Tabuleiro e Cachoeira Rabo de Cavalo. Em ambas, o acesso é somente por trilha a pé, o que nós adoramos!

Visitamos primeiro a Cachoeira Rabo de Cavalo. Ela está situada no Parque Estadual da Serra do Intendente. É preciso ir de carro até um lugarejo chamado Itacolomi. Na estrada havia trechos com bastante erosão. Carros pequenos passavam, mas sofriam com as chacoalhadas da buraqueira. Já perto da portaria do Parque, é feita uma travessia curta por um rio bem raso, fácil de ser atravessado em época de seca. No ponto final, encontramos um trailer que é utilizado pelo guardião da Cachoeira, que nos recebeu com muita acolhida. A trilha até a cachoeira é autoguiada, sem erros de rota. Nós a fizemos em 40 minutos. A bela cachoeira de 150 metros forma um poço negro para um corajoso mergulho na água gelada.

A Cachoeira do Tabuleiro também está em área protegida, no Parque Natural do Ribeirão do Campo. Esta cachoeira é conhecida pela sua altura. São 273 metros de queda, ocupando o posto de mais alta cachoeira de Minas Gerais, e a terceira maior do Brasil. Existem duas opções de acesso, à parte baixa e à parte alta. Nós seguimos para a parte baixa. A trilha é autoguiada, de dificuldade média, e uma das mais lindas que já fizemos. Nós descemos por cerca de 30 minutos o paredão de pedra, e depois mais 30 minutos pelo rio, pulando pedras. O ponto alto da trilha é quando avistamos a cachoeira, que fica escondida pelos cânions. Em época de cheia extrema, é impossível chegar perto da cachoeira devido à força da água. Aproveitamos o calor do corpo para termos coragem de mergulhar nas águas geladas e escuras. Nadamos até o meio do lago, onde há uma pedra, para nos aquecermos novamente no sol. E depois nadamos até a cachoeira para tomarmos um banho nos fortes respingos que bailavam conforme o vento.

Deixamos Tabuleiro extasiados pelas belezas que encontramos e pelas trilhas que fizemos. Ainda tinha muito por ser visto, mas precisávamos seguir estrada. Certamente voltaremos um dia para nos deliciarmos ainda mais com as maravilhas deste lugar.

About Manu

Sou bicho do mato! Amo me sentir presente na natureza como se fosse parte dela. E sou apaixonada por pessoas, ouvir suas histórias e me encantar com elas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.